Notícias Militares

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

A Defesa da Amazônia



A defesa da Amazônia
Pronunciamento do Grão-Mestre Geral do Grande Oriente do Brasil, Soberano Irmão Marcos José da Silva.

A Amazônia Brasileira merece a atenção dos maçons, em face dos perigos que cercam a região. Notícias que circulam insistentemente na mídia nacional e na internacional nos causam desassossego. Percebemos que a soberania brasileira sobre o seu território amazônico vem sendo testada, seja por meio de atuações suspeitas junto às tribos indígenas, seja através de balões de ensaio inseridos nas colunas de imprensa.
O derrotismo e o denuncismo como o assunto é apresentado, pouca ou nenhuma esperança nos permitem acalentar; é como se o Brasil estivesse inerme diante do perigo.
Nesse ambiente sombrio de inquietações em que procuram difundir dúvidas e temores, vem á luz através da mídia nacional, o fortalecimento da tática do Exército Brasileiro de recrutar indígenas em unidade especiais localizadas nas fronteiras do Norte.
Não estamos inertes nem conformados com os assanhamentos contra o Brasil. As forças Armadas do nosso País desempenham, silenciosamente, o papel que lhes cabe. O alerta de líderes militares, o recrutamento cada vez maior de jovens índios brasileiros, uniformizados com o verde olívia, praticando exercícios militares em plena selva amazônica e recebendo voz de comando em suas línguas nativas acendem um clarão de orgulho nacional na consciência de cada patriota.

09/10/2008.

Marcos José da Silva
Grão-Mestre Geral

Um comentário:

João Florêncio Sobrinho disse...

DIAS MELHORES VIRÃO!

Meus irmãos!a fé e o ideal hão de ser sempre as mais poderosas alavancas do progresso e da fidelidade ao nosso querido País. Aqueles que conservam a sua paz interior no meio da vida atual, estão imunizados contra as mazelas que erroneamente se dizem modernas. A glória é tanto mais tardia quanto mais duradoura há de ser, porque todo fruto delicioso amadurece lentamente.
Portanto, para que se mude a regra do jogo, se faz necessário que as pessoas honestas, com capacidade intelectual, moral e psicológica assumam a política partidária de nosso querido Brasil. Isto porque, estamos sendo administrados por uma grande parcela de incompetentes e bajuladores.
É público e notório, que o bajulador não corteja somente os superiores; às vezes agrada também aos subalternos, aos humildes, principalmente quando estes lhe podem ser úteis. É um tipo objeto: afável e mensureiro quando lhe convém; grosseiro, arrogante e intratável quando não o move nenhum interesse. BRASIL ACIMA DE TUDO!