Notícias Militares

quinta-feira, 3 de julho de 2008

A confição do Ten Vinícius


Tenente chora e diz ser responsável por entregar jovens
Daniel GonçalvesDireto do Rio de Janeiro


O tenente Vinícius Ghidete de Moraes, um dos 11 acusados de levar três jovens do morro da Providência para o morro da Mineira, chorou durante depoimento prestado ao juiz Marcello Granado, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro. Ele disse ainda que tomou as decisões sozinho e que seus subordinados apenas obedeceram às suas ordens. Antes, ele havia afirmado que, quando saiu do caminhão, alguns militares teriam ajudado a levar os rapazes até os traficantes. "Eu estava com medo quando falei essas coisas. Eu estava confuso, mas tudo o que aconteceu é minha responsabilidade", afirmou.
Os rapazes teriam sido entregues por militares, no dia 14 de junho, a traficantes do morro da Mineira, controlado por uma facção de traficantes rival à que atua na Providência. No dia seguinte, os jovens apareceram mortos em um aterro sanitário, na Baixada Fluminense.
O juiz pediu que o militar informasse a sua formação e o seu endereço e, ao citar que era casado e tem um filho de 2 meses, o tenente abaixou a cabeça e chorou.
O tenente confirmou a versão que havia do depoimento prestado anteriormente à Polícia Civil de que a intenção era deixar os três jovens do morro da Providência nas imediações do morro da Mineira apenas para levarem um susto.
Ele disse que o encontro com os traficantes não foi previamente planejado. O militar negou que quisesse desobedecer às ordens do capitão Laerte, mas admitiu que errou. "Eu nunca iria desobedecer ordens do meu capitão. Mas, quando ele ordenou para soltá-los, eu quis dar um susto neles. Queria que eles ficassem com 'cagaço'", afirmou.
Ainda segundo o militar, no trajeto de volta ao quartel, ele pediu que seus subordinados não fizessem comentários sobre o ocorrido. "Eu virei para trás e pedi para meus comandados ficarem em silêncio e que não comentassem nada. Eu tinha medo de ser punido pelo capitão."
O tenente foi o primeiro integrante do grupo formado por 11 militares a prestar depoimento na Justiça Federal. Os demais envolvidos ainda serão ouvidos entre hoje e amanhã.
Ao final do depoimento de duas horas e 10 minutos, o militar afirmou que, na sua opinião, o capitão Laerte não agiu de forma correta ao mandar soltar os três jovens que o teriam desatacado. Segundo ele, quando os levou ao quartel, o capitão deveria ter apurado se houve desacato. "Acho que ele não procedeu corretamente porque eu levei eles lá para constatar que houve desacato. O capitão mandou fazer vista grossa para esse tipo de coisa", disse.
Ainda durante o depoimento, o tenente reclamou da forma de atuação da polícia após o ocorrido. Vinícius disse que foi "bombardeado de perguntas" antes de iniciar o depoimento oficial e antes da chegada dos seus advogados.
Redação Terra

2 comentários:

Anônimo disse...

Se deletarem esse comentário, é porque a razão está conosco.

www.coturnonoturno.blogspot.com

comentário feito sob o post:

Passa boi, passa boiada.

Gados que se entrelaçam


Por Adriana Vandoni


Se por acaso algum militar responsável e ler o que estão fazendo com o nosso Brasil, a nossa Pátria, como pode ele ter consciência e se calar?

Daniel Dantas, dono do Banco Opportunity, com ajuda do lulinha possuir o monopólio do gado no Brasil, é chocante.

A SKY possuir o monopólio das transmissões de satélite da SKY e Direct TV, é chocante.

A OI/Telemar ter conseguido comprar a Brasil Telecom e feito um monopólio das transmissões no Brasil, muito chegada ao lula pela intervenção do lulínha e outros amigos do peito, é chocante.

O negocio do Nióbio mineral raríssimo no planeta e indispensável à indústria aera espacial, que pertence a "laranjas" muito próximos de lula, é chocante.

Mas tem muitos mais monopólios!

Como Nação, acabamos. Extinguimo-nos.

Somos uma miserável chácara de lula, o Imperador, o colonialista corrupto.

Brasil è um imenso monopólio corrupto do Presidente do Foro de São Paulo que também ocupa intencionalmente o cargo de Presidente da Republica Federativa do Brasil, meu País, grande Nação vilipendiado nos seus mais nobres valores.

PQP os militares covardes que deixaram a minha Pátria chegar a este estado.

Vivi disse...

Mensagem aos comandantes militares
06 de julho de 2008


Não se pode avaliar um descarado, farsante, e hipócrita, como leniente, com a influência do cargo que ocupa. “Nunca se viu neste país” tanta covardia e tanta irresponsabilidade pelo relativismo espúrio com que os esclarecidos tratam os crimes das “gangs dos quarentas” e seu líder, que deveriam estar, neste momento, encarcerados e cumprindo duras penas.

Por Geraldo Almendra (*)
http://brasilacimadetudo.lpchat.com/


"O cidadão honrado sabe confrontar o brilho do olhar limpo com a mirada opaca dos cínicos. O povo pode até ser enganado. Mas um dia, talvez antes do que se pensa, a casa desabará na cabeça dos canalhas".