Notícias Militares

sábado, 17 de maio de 2008

NOVO ACORDO ORTOGRÁFICO



Veja o que muda para os brasileiros com o novo acordo ortográfico Luana Lourenço Repórter da Agência Brasil


Brasília - O acordo ortográfico, que unifica a forma como é escrito o português nos países que falam a língua, aprovado hoje (16) pelo Parlamento de Portugal, vai modificar 0,43% do dicionário brasileiro. Os portugueses, que levaram 16 anos para ratificar a proposta e não tinham aderido à reforma ortográfica de 1971, terão que alterar 1,42%. Na avaliação do professor Godofredo de Oliveira Neto, presidente do Conselho Diretor do Instituto Internacional da Língua Portuguesa (IILP) e da Comissão de Definição da Política de Ensino, Aprendizagem, Pesquisa e Promoção da Língua Portuguesa (Colip), ligada ao Ministério da Educação, as principais mudanças para os brasileiros serão a extinção do trema e mudanças no uso do hífen e de acentos diferenciais. Confira as alterações que o novo acordo trará para o português escrito no Brasil:


Alfabeto


Passará a ter 26 letras, ao incorporar “k”, “w” e “y”


Trema


Deixará de existir, só permanecerá em nomes próprios, como Hübner ou Müller


Acento agudo
Desaparecerá nos ditongos abertos “ei” e “oi” em palavras como “idéia” e jibóia” e nas palavras paroxítonas com “i” e “u” tônicos, quando precedidos de ditongo em palavras como “feiúra”


Acento circunflexo
Desaparecerá em palavras com duplo “o”, como vôo e enjôo e na conjugação verbal com duplo “e”, como vêem e lêem


Acento diferencial
Não se usará mais acento para diferenciar “pára” (verbo) de “para” (preposição) ou “pêlo” (substantivo) de pélo (verbo) e pelo (preposição mais artigo)


Hífen
Desaparecerá em palavras em que o segundo elemento comece com “r” e “s”, como “anti-rábico” e “anti-semita”. A grafia passará a ser “antirrábica” e “antissemita”. O hífen será mantido quando o prefixo terminar em “r”, como em “inter-racial”

Um comentário:

Ênio Kersting Correa disse...

REFORMA ORTIGRÁFICA IRRACIONAL
O gramático paulista Eduardo Carlos Pereira, no início do século 20, em sua "Grammatica Historica", dizia que o sistema ortográfico ideal seria fonético e teria um só símbolo para cada fonema. Já observava ele que isto era impossível com as vogais porque existem mais sons vocálicos do que letras.
Então, os defeitos do Acordo Ortográfico são: 1)elimina o trema ao invés de eliminar os dígrafos "GU" e "QU"; 2)traz de volta as letras "W", "Y" e "K", para cujos fonemas já existem símbolos.
Minhas saudações!