Notícias Militares

sexta-feira, 7 de março de 2008

CLARA CHARF - anistiada e receberá pensão



Amanda Cieglinski Repórter da Agência Brasil


Wilson Dias/ABr

Brasília - Clara Charf, que foi companheira do guerrilheiro Carlos Marighella, participa de solenidade da Comissão de Anistia que julga processos em homenagem ao Dia Internacional da Mulher. Ela foi reconhecida como anistiada política e terá direito a R$ 2,5 mil mensais. Pagamento terá início em 30 dias Brasília - O Ministério da Justiça reconheceu hoje (7) a condição de anistiada política de Clara Charf. Ela terá direito a uma prestação mensal continuada no valor de R$ 2,5 mil que começará a ser paga em 30 dias.“Ninguém pode negar que temos hoje uma liberdade democrática graças às lutas do passado”, disse Clara durante a sessão de julgamento que marca o Dia Internacional da Mulher. Comunista, Clara viveu na clandestinidade por longo período e foi companheira de Carlos Marighella - fundador da Aliança Libertadora Nacional (ALN). Após a morte de Marighella, em 1969, exilou-se em Cuba. Hoje trabalha no Conselho Nacional dos Direito da Mulher e articula a rede Mulheres pela Paz ao Redor do Mundo.A Comissão de Anistia julga hoje (7) o processo de sete mulheres perseguidas politicamente entre 1946 e 1985. Ainda terão requerimentos apreciados: Ana Wilma Moraes, Beatriz Arruda, Estrella Dalva, Nancy Mangabeira Unger, Maria do Socorro de Magalhães e Halue Yamaguti.

3 comentários:

Anônimo disse...

Ao invés de um tapa na cara por continuar comunista em idade para se ter juízo, a senhora em questão, cujos objetivos, se implantados, provavelmente teriam custado a vida de milhões, ganha uma pensão paga com o sacrifício dos que ela sacrificaria em nome do poder absoluto.
Quem leva um tapa na cara é o brasileiro honesto, amigo da liberdade alheia e patriota.
Esta gente não tem o mínimo decoro. Para além de roubar como nunca, para além de ter pregado e pregar uma ideologia de morte, ainda goza com a nossa cara.
Mas um dia, o povo há de se cansar! E eles vão pagar cara pela arrogância.

Bonifácio

Anônimo disse...

Quem é esta Nancy Mangabeira Unger???????
Vai me dizer q ela é parente do Ministro SEALOPRA????
Aquelezinho....umtal de Mangabeira Unger.
Qual o parentesco das figuras?????
Se forem mesmo parentes, pode apostar q ele tb vai querer esta "bocada" da pensão...
Td mundo quer "participar".....acho q tb vou querer....
Afinal, isto aqui é a Casa-da-Mãe-Joana.

Glória disse...

Mais do que justa esta anistia `
às sete mulheres neste 8 de março!

Vítimas do assédio sexual, do estupro, das torturas, da dor de ver o desparecimento de maridos e filhos, essas anistiadas representam todas as brasileiras que foram à luta em todos os tempos da nossa História.

Eu mesma, sou uma delas que, neste ano, entrei com toda a documentação necessária junto ao Ministério da Justiça para receber o atestado ou certificado de anistiada política. Tinha l9 anos à época daquela súbita noite de trevas que baixou sobre o país, enfrentei IPMs, assédio sexual, porões da ditadura, estupro e depois um abortamento constante na minha carreira como âncora de Tv, jornalçista, proessora universitária. Isto até depois da Anistia de 79.

Gostaria de dizer a esses remanescentes da ditadura que, nós, as vítimas, por uma questão de faixa etária, breve deixaremos de existir e assim as pensões. Quanto às indenizações, a maior delas não cobre uma vida de discriminações, de oportunidades perdidas e desprezo da sociedade e até dos familiares.

Enfatizo ainda que não foram apenas as "ovelhas vermelhas" que foram punidas. Mas, tb as branquinhas, branquinhas, sem vínculo algum com qualquer partido político (livres-atiradoras), que apenas queriam um Brasil melhor ou as Reformas de Base, que até hoje não vieram...

Glória Drummond