Notícias Militares

quinta-feira, 20 de março de 2008

DESPERTA., BRASIL, E REAGE !



DESPERTA, BRASIL, E REAGE!
VAlte(Ref) Sergio Tasso Vásquez de Aquino

Acabo de regressar de curta viagem a Paris e a Nova Iorque, a segunda que realizo, pelo mesmo itinerário, no intervalo de seis meses, para levar e trazer, respectivamente, minha neta mais velha que realizou curso na Sorbonne. Em ambas as ocasiões, experimentei a mesma sensação: uma saudade enorme do Brasil, com o desejo de logo voltar, quando ausente da nossa terra, e a alegria imensa de estar finalmente em casa, de retorno à nossa Pátria sem igual e ao seio do seu povo bom e hospitaleiro.
O Brasil é um grande e dadivoso país, cheio de encantos: o clima, o sol, a natureza, a maneira de ser e de se relacionar das pessoas... Sem falar da riqueza inacreditável de que é dotado, motivo de admiração e de inveja-cobiça do mundo inteiro!
Todos os estrangeiros que nos visitaram e visitam, desde os tempos do Descobrimento até hoje, viram-se envolvidos pelo sortilégio especial do nosso País, esse encanto impossível de resistir, que toma conta de quem tem o privilégio de habitar, ainda que por escasso tempo, entre nós. E os brasileiros expatriados, seja por que motivo for, abrigam no coração o constante desejo de voltar, pois que as aves que aqui gorgeiam cantam de modo diferente e especial, como o sabiá nas palmeiras...
Temos tudo para ser felizes, e os brasileiros não precisavam emigrar, em busca de vida melhor. Em verdade, sempre fomos um país de imigrantes, pessoas provenientes de todas as latitudes e longitudes, que vinham voluntariamente buscar a realização e a vida digna, até opulenta, no Brasil. Não por acaso, temos os maiores contingentes no mundo, fóra dos países ancestrais, de portadores de sangue italiano e japonês, além de expressivíssimos números de descendentes de portugueses, espanhóis, alemães, sírio-libaneses, poloneses, russos, ucranianos, lituanos, americanos do norte, chineses, coreanos, austríacos, suiços... Todos fizeram do Brasil sua morada, o local abençoado de criação de filhos e netos, de construção de um futuro melhor pelo trabalho honrado das mãos e o suor do rosto.
Somente a partir do governo Sarney, na década de ´80, nos transformamos num país de emigrantes, pela crescente falta de oportunidades de trabalho e emprego que, desde então, passou a assombrar e avassalar nossa juventude, levando-a, em boa parte, a buscar os caminhos do mundo para ter vida melhor. Cada brasileiro que emigra, porém, como o nordestino que é obrigado a partir de sua terra, forçado pelas agruras da seca e pelo histórico abandono governamental, deixa aqui o coração e leva os olhos lavados pelas lágrimas de saudade!
Os grandes males que nos afligem, de forma inaceitável em face da pujança do País, que poderia ser celeiro do mundo e terra da promissão, são a ignorância, a miséria, a violência e a injustiça-impunidade. Todos frutos da ação danosa e deliberada dos políticos perversos, que não desejam, nem favorecem alteração no “status quo”, nos exploram, humilham e degradam, sugando de forma egoísta e tenebrosa o patrimônio de todos em proveito pessoal, familiar, partidista e corporativo, sem qualquer consideração pelo Bem Comum, o direito e a justiça. Nisso, todos, ou a maioria esmagadora, se igualam, independentemente de filiações partidárias ou pretensas inclinações ideológicas: a tônica é o butim, o ataque rapace aos recursos nacionais e de todos, a busca e o usufruto dos privilégios mais absurdos e descabidos, a mentira como prática comum, o desprezo absoluto pelos direitos do povo, manipulado como curral eleitoral garantidor de mandatos, cargos e posições de poder, o desvio de recursos públicos para algibeiras pessoais, a mais deslavada roubalheira até! “Mateus, primeiro os teus!” é a palavra de ordem que preside a prática política, em cujo seio as pessoas honradas, bem intencionadas, patriotas e de reta intenção são, como os fatos vêm tristemente comprovando, heróica minoria!
A chamada “redemocratização” do Brasil, em que tantos depositavam viva esperança, ao fim e ao cabo vem-se configurando em dolorosa desilusão. Os partidos e os políticos brasileiros nada aprenderam com os anos de ostracismo e de afastamento do poder. Ao contrário, voltaram com apetite voraz, querendo recuperar com juros elevados, e compensação muitas vezes multiplicada, a privação temporariamente imposta de mamar nas tetas do Estado.
O despudor atinge hoje expressões inéditas, “nunca antes vistas na história deste país”, sob a égide de um partido que exerce poder totalizante, já que “aparelhou” a maior parte do Estado com “companheiros e companheiras”, cooptou a maioria dos demais partidos na “base aliada”, construída pela opípara distribuição de benesses com recursos públicos do tipo pouco claro e moralmente indefensável de “toma lá-dá cá”, e não enfrenta oposição real e eficaz, e que antes, na oposição, se declarava verbalmente campeão da ética, da moral e dos bons costumes. A sucessão perplexante de escândalos e de assaltos de toda a ordem ao patrimônio comum dos brasileiros, que tem sido a tônica dos últimos e tristíssimos anos, recebida como coisa natural, inevitável e, até, com aplausos e aprovação crescente da maioria expressiva do povo anestesiado, a julgar pelos resultados das eleições e pelas repetidamente difundidas pesquisas de opinião, é causa de graves preocupação, constrangimento e angústia dos brasileiros de bem e comprometidos com a grandeza e o futuro do nosso País. Há que reconhecer, contudo e infelizmente, que somos minoria: a expressiva maioria está loucamente contente, satisfeita, correndo sem consciência e celeremente para uma tragédia anunciada!
Tudo isso agravado pela ameaça muito séria apresentada pelo pervertido desvio ideológico das pessoas que detêm o poder, cujo sonho, ou projeto em plena execução, é o de fazer, do Brasil dos tempos correntes, campo de experimentação das ultrapassadas, diabólicas e cruéis teses, doutrina e praxis de poder marxistas. Que Deus nos livre de tamanho infortúnio e sofrimento! Mas, na Sua Obra de Salvação, Ele solicita a colaboração e precisa da oração e do trabalho dos homens tocados pela Verdade e pela centelha divina:”ORA ET LABORA”!
É por isso que, na modéstia das minhas possibilidades, mas na grandeza do meu amor fiel a Deus e aos semelhantes e do meu compromisso visceral assumido com a Grande Pátria Brasileira, brado do fundo do coração e da alma, esperando encontrar eco entre meus concidadãos: “DESPERTA, BRASIL, E REAGE!”
ENQUANTO AINDA HÁ TEMPO!

Rio de Janeiro, RJ, 17 de março de 2008.

3 comentários:

Anônimo disse...

Ha momentos que o desanimo se apossa de meu ser, será que compensa esta luta senhores? Alertar , denunciar e não tomar uma ação mais pratica e objetiva seria suficiente?
Não creio, francamente temos que formar grupos de conscientização politica em nossas cidades bairros etc para começar um movimento realmente nas bases e talvez TALVEZ consigamos apoio para a restauração do verdadeiro estado de direito com respeito as leis e uma reforma nas estruras deste pais com revisão desta constituição, codigo penal etc etc

Pedro Henrique Bougleux

yehudin53@hotmail.com

Fenridal disse...

See here or here

Anônimo disse...

Penso que as opiniões expressas aqui são reflexo direto da política ineficaz de governos incopetentes e, ao mesmo tempo desinteressadas, em educar uma população faminta por conhecimento e não só por comida. Basta olhar em cada conversa que acontece em churrascos e butecos espalhados pelo Brasil. Uma das poucas chances de recuperar o interesse pela Pátria é a educação e então alcançar crianças com a devida conscientização política, mostrando o que representa a nossa Pátria e também a liberdade e responsabilidade que cada um tem para escolher o melhor para o próprio país.